top of page

Atualização Monetária

Em complemento às considerações iniciais já realizadas sobre este tema tão relevante na Perícia Contábil, traremos, hoje, alguns pontos mais específicos sobre a atualização monetária.


Fundamentos da Atualização Monetária 

A atualização monetária, ou correção monetária, é a técnica de se traduzir, em termos de idêntico poder aquisitivo, quantias ou valores que, fixados no tempo, se apresentam em moeda sujeita à desvalorização. Ou seja, é o processo pelo qual se visa corrigir valores em função da desvalorização ou valorização da moeda, em função da inflação ocorrida em um período. A necessidade de atualização monetária surge para garantir que contratos, dívidas e transações reflitam o valor real na data de pagamento.


Instrumentos de Atualização Monetária

Existem diferentes métodos para realizar a Atualização Monetária, dependendo da legislação e das práticas adotadas em cada país e aquelas contratualmente avençadas. Entre os métodos mais comuns estão:

  • IPCA – Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - é o índice oficial de inflação do Brasil. Ele é medido pelo IBGE e tem como base os preços de produtos e serviços consumidos por famílias residentes em áreas urbanas com renda mensal de 1 a 40 salários-mínimos;

  • IGP-M – Índice Geral de Preços – Mercado - é um indicador medido pela FGV. Mensura a variação dos preços de bens e serviços comercializados no atacado, varejo e na construção civil e é utilizado, principalmente, em contratos de aluguel;

  • INPC – Índice Nacional de Preços ao Consumidor - é semelhante ao IPCA, também medido pelo IBGE, mas tem como base os preços de produtos e serviços consumidos por famílias com renda mensal de até 5 salários-mínimos;

  • Taxa Selic – Sistema Especial de Liquidação e Custódia - taxa básica de juros da economia brasileira. Definida pelo Banco Central e serve como referência para outras taxas de juros praticadas no mercado.

  • TR – Taxa Referencial - calculada pelo Banco Central. No caso, ela é utilizada na correção monetária de algumas operações financeiras, como a poupança e títulos de capitalização;


Impacto nas Finanças Corporativas

Empresas frequentemente lidam com contratos de longo prazo, empréstimos e transações que se estendem por vários anos. A falta de Atualização Monetária pode resultar em perdas significativas, pois os valores acordados inicialmente podem não representar mais o mesmo poder de compra ao longo do tempo.


Desafios e Controvérsias

A atualização monetária nem sempre é uma prática consensual, uma vez que os métodos de cálculo e os índices escolhidos podem ser fonte de controvérsia e debates jurídicos.


Aspectos Legais e Regulatórios

A atualização monetária muitas vezes é regulamentada por leis e normas específicas. É essencial compreender as regras estabelecidas pelo governo para garantir a conformidade legal e evitar litígios.


Exemplos Práticos

Um exemplo comum de Atualização Monetária pode ser observado em contratos de aluguel, nos quais as parcelas são ajustadas periodicamente com base em índices de inflação.

Em um cenário econômico dinâmico, a atualização monetária surge como uma ferramenta essencial para preservar a equidade nas transações financeiras. Compreender seus fundamentos, métodos e implicações é essencial para empresas, indivíduos e governos que desejam manter a estabilidade financeira ao longo do tempo. O balanceamento adequado entre interesses de devedores e credores, aliado a uma legislação clara e eficiente, é vital para o bom funcionamento desse mecanismo.



Comentários


bottom of page